O MEU BLOG

O MEU BLOG

O MEU BLOG

O MEU BLOG

domingo, julho 11

FRUTA DRAGÃO - PITAIA

Foto tirada pelo articulista, nas próximidades da povoação de Pac Chong - Tailândia

O articulista junto a uma plantação de Pitaias na província de Chanthaburi - Tailândia.

Na Tailândia culktivam-se algumas variedades, mas a mais comum é a Pitaia vermelha com polpa branca, de grandes dimensões, chamada Hundatus.





A flôr das Pitaias são consideradas as mais belas do mundo.




Várias Pitais cortadas ao meio, podendo ver-se que existem duas especieis bem diferente, uma de cor branca e outra de cor vermelha.

Este delicioso fruto pode ser encontrado nos mercados de Macau, o seu valor, varia entre 5 e 10 patacas,(5 e 10 céntimos do Euro) cada, depende do tamanho e da época do ano.








Uma Pitaia com seus frutos.



Pitaia






Pitai vermelha (Hylocereus)







Pitaia amarela ( Selenicereus megalanthus)





Um exemplar do cacto produtor da Pitai (Hylocereus)




Pitaia (pitaya em PE) é o nome dado ao fruto de várias espécies de cactos epífitos, sobretudo do género Hylocereus mas também Selenicereus, nativas do México e América do Sul e também cultivadas na Tailândia, Malásia, Taiwan, Sri Lanka, Australia, Filipinas, China, Israel e à mais de 100 anos no Vietname. O termo pitaia significa fruta escamosa, também sendo chamada de fruta-dragão em algumas línguas, como o inglês e em chinês conhecida por Fó Long Kó., entre os mexicanos é conhecida por Pitahaya. Como a planta só floresce pela noite (com grandes flores brancas) são também chamadas de Flor-da-Lua ou Dama da Noite.





Clima e solo


Pode ser cultivada de 0 até 1.800 metros acima do nível do mar, desde que as temperaturas sejam em média de 18 a 26°C, com chuvas de 1.200 a 1.500 mm/ano, mas se adapta também a climas mais secos.



Fruta


Existem três variedades, todas com a pele folhosa:



Hylocereus undatus, branca por dentro com pele rosa

Hylocereus polyrhizus, vermelha por dentro com pele rosa

Selenicereus megalanthus, branca por dentro com pele amarela


A fruta pode pesar entre 150-600 gramas e seu interior, que é ingerido cru, é doce e tem baixo nível de calorias. Da fruta se faz suco ou vinho; as flores podem ser ingeridas ou usadas para fazer chá. As sementes se assemelham às do gergelim e se encontram dispersas no fruto cárneo.


A Pitaia tem sido descrita como uma fonte de beta-caroteno, licopeno e vitamina, sendo rica em antioxidantes.


Este exótico fruto possui imenso potencial para uso como fonte de ingredientes funcionais para porprocionar nutrientes que podem prevenir doenças relacionadas à nutrição e melhorar a saúde física e mental e o bem estar de seus consumidores. Os frutos da Pitaia são ricos em vitaminas, fósforo e oligossárideos que auxiliam o processo digestivo e previnem o câncer do cólon e diabetes. Ajuda, igualmente, a neutralizar substâncias tóxicas, reduz os níveis de colesterol e a hipertensão.


Os oligossacáridos da Pitaia apresentam propriedades preblóticas, que inclui a resistência às condições de ácido no estômago humano, a resistência parcial de à amilase presente na saliva humana e a capacidade de estimular o crescimento de lactobacilos e bilidobactérias, bactérias benéficas, que protegem contra o risco de câncer cólon retal e outras doenças. Desta forma a Pitaia, ou fruto dragão, é uma fonte potencial de prebióticos que pode ser utilizada como ingrediente em alimentos funcionais e produtos nutracêuticos.



Utilização



Pode-se consumir a polpa do fruto ao natural ou processado como refresco, geléias ou doces. É também utilizada em medicina caseira, como tônico cardíaco, seu gosto lembra um pouco o melão . Apesar de sua aparencia chamativa, o paladar é suave. As sementes têm efeito laxante. Além do fruto, que tem efeito em grastrites, o talo e as flores são usados para problemas renais.










Nenhum comentário: